Ameaça de bomba dos "Anonymous": manobra para eleger Obama ?

25-10-2012 11:32
 
O grupo de hackers "Anonymous" que, tal como a Wikileaks, apresenta fortes indícios de ser uma ferramenta dos serviços de inteligência ocidentais pode estar agora a ser usado para criar mais uma crise "fabricada" (um ataque de falsa-bandeira) com o intuito de assegurar a re-eleição de Obama.
O modo de atuação das elites é sempre o mesmo: criar o "problema" - a crise "fabricada" (terrorismo, crise económica, pandemia, etc) para depois oferecer a "solução" que satisfaz os interesses daqueles que criaram a crise.
Os serviços de inteligência usam com frequência a estratégia da  oposição controlada  que consiste basicamente em criar/apoiar/infiltrar grupos oposicionistas para neutralizar o descontentamento popular ou para o usar para os fins que melhor servem as elites.
As evidências indicam que os frutos mais recentes desta estratégia são, para além dos Anonymous e da Wikileaks, as "revoluções coloridas", a "Primavera árabe" e o movimento "Ocupem Wall Street".
Esta frase atribuída a V.I.Lenine resume bem a essência da oposição controlada :
"A melhor forma de controlar a oposição é sermos nós a liderá-la."

 

O excelente artigo da Infowars que traduzimos a seguir é elucidativo:
http://www.infowars.com/will-anonymous-bomb-threat-throw-election-to-obama/

(NT - O negrito é da minha responsabilidade)

 

Ameaça de bomba do grupo  'Anonymous' conseguirá assegurar a eleição de Obama ?

" Os membros do coletivo hacktivista planeiam atacar Wahington DC no dia 5 de novembro.

Paul Joseph Watson & Alex Jones
Infowars.com
24 de outubro de 2012

Uma ameaça colocada no YouTube de fazer explodir um edifício do governo juntamente com o plano de outros membros do 'Anonymous' de atacar a Casa Branca e o Congresso, numa tentativa de prender membros do governo um dia antes da eleição presidencial, poderia fornecer a crise ideal para Barack Obama garantir um segundo mandato.

Um vídeo enviado para o YouTube apresenta um indivíduo mascarado que afirmava representar o coletivo hacktivista 'Anonymous', afirmando que "200 quilos de nitroglicerina e explosivos comerciais foram efetivamente escondidos num prédio do governo, situado nos Estados Unidos da América."

O indivíduo acrescenta que, "no dia 5 de novembro de 2012 o dispositivo vai detonar remotamente , provocando graves consequências."

O vídeo é claramente uma tentativa de retratar a 'Anonymous' como uma ameaça violenta. A conta do YouTube responsável por carregar o clipe só foi criada há seis dias e começou
imediatamente a fazer upload de outros vídeos da 'Anonymous' num esforço para associar-se com o coletivo hacktivista. O YouTube tem permitido que o vídeo permaneça online há mais de dois dias, quando se sabe que conteúdo muito menos obsceno é rotineiramente censurado em algumas horas.

É importante salientar que outros membros do Anonymous emitiram declarações como esta distanciando-se da ameaça de bomba. Outros membros
da 'Anonymous' alegaram que a conta do You Tube é uma farsa criada deliberadamente com a intenção de desacreditar o grupo, o que é perfeitamente plausível.

No entanto, a ameaça de bomba coincide com outro evento da 'Anonymous' marcado para 5 de novembro, durante o qual  membros
da 'Anonymous' tentarão "prender todos os membros do Congresso, o Presidente, e todos os juízes do Supremo Tribunal dos EUA, que ficarão presos sem fiança até uma investigação completa independente e julgamento serem concluídos."

"Precisamos reeleger o nosso governo no prazo de 90 dias, a fim de evitar os tumultos", acrescenta o site.

Na seção FAQ do site para o evento, os organizadores deixam claro que vão estar desarmados, mas que esperam violência e estão dispostos a ser mortos a tiro.

"Nós não estamos a sugerir que nunca reagimos em face da violência. Estamos apenas a sugerir que esta ação continue pacífica até que o governo se torne violento e começe a prender ou filmar as pessoas ", afirma o site.

Material promocional para o evento inspira-se no final do filme V for Vendetta , o filme que termina com multidões mascaradas marchando nas Casas do Parlamento em Londres antes de serem bombardeadas. 05 de novembro é, naturalmente, a data da "Gunpowder Plot ", um acontecimento histórico em que Guy Fawkes e os seus companheiros conspiraram para matar o rei James antes de o seu plano ser frustrado.

A conta de Twitter para o evento deixa claro que, "Isto não é um protesto! Isto é uma Ação de Cidadãos ".

Este plano para atacar edifícios do governo e prender Obama juntamente com outros funcionários públicos é conhecido pelo menos desde junho. É inconcebível que os grupos que promovem esse evento não estejam já completamente infiltrados pelo governo federal.

A probabilidade de que o grupo esteja a ser incitado pelos agentes federais é particularmente elevada, dado o fato de que o FBI foi apanhado a orientar praticamente todas as conspirações terroristas domésticas nos Estados Unidos desde o 11 de Setembro, incluindo a recente tentativa de atacar o edifício da Reserva
Federal em Manhattan.

A Infowars também previu que a milícia Hutaree, caracterizada pelos meios de comunicação de massas como terroristas domésticos, também fora infiltrada e incitada pelos agentes federais, o que mais tarde se provou ser o caso.

O nosso escritório tem sido visitado pelo FBI e alguns dos nossos ouvintes foram questionados pelos Serviços Secretos por fazerem comentários relativamente leves na Internet comparados com a ameaça de atacar e fazer explodir edifícos do governo , como o vídeo e o evento 'Anonymous' estão a promover.

Se Alex Jones começasse a fazer ameaças de bomba e a incentivar os seus ouvintes para invadir a Casa Branca e para prender Obama, Jones seria preso dentro de horas, mas este evento já é público há meses e os agentes federais não fizeram nada para o impedir.

Acreditar que todo o evento não foi completamente infiltrado pelos agentes federais é mais do que ingénuo, e é por isso que nós insistimos que as pessoas não participem nele.

O evento está tão mal organizado que momentos específicos e detalhes das ações não são indicados. Isto está de acordo com  as caraterísticas da ´Anonymous`, que, sendo um conjunto de indivíduos sem estrutura organizacional é incrivelmente fácil de ser infiltrada e utilizada pelas autoridades. Vários ex-membros da
´Anonymous` vieram a público para confirmar que o grupo está totalmente infiltrado pelo FBI e é usado para encenar ataques.

O evento também está a ser promovido por indivíduos conhecidos por divulgarem informação enganosa. Em 2009 verificou-se que o radialista supremacista branco Hal Turner era um agente do FBI que estava a ser pago pelos agentes federais para  "publicar informações que fariam com que outros grupos agissem de uma forma que os possa conduzir à prisão."

Vemos um tema semelhante a emergir com este evento da 'Anonymous'. Soa como uma armadilha para atrair ativistas otários  bem-intencionados e tornar mais fácil para as autoridades a sua associação com atividades violentas. Os indivíduos que promovem o evento também estão a tentar filiar-se com os Oath Keepers, uma organização não-violenta de polícias e ex- militares que rotineiramente é demonizada pelo governo como uma  organização extremista.

De fato, no site do evento, a 'Anonymous' chama os Oath Keepers para os "protegerem" caso a violência irrompa durante a marcha.

Será que a ameaça de bomba e as "prisões em massa" são uma manobra do governo Obama? O fato de que o caos está previsto para o dia anterior à eleição seria uma oportunidade perfeita para Obama ser retratado como uma vítima.

Não nos devemos esquecer que muitos estrategas democratas têm publicamente considerado que um ataque terrorista doméstico poderia ser a única coisa que asseguraria um segundo mandato a Obama.

Durante uma aparição em 2010 no programa televisivo Hardball de Chris Matthews, o apoiante de Clinton e ex-agente democrata Mark Penn afirmou
descaradamente que Obama precisaria de se aproveitar de um massacre para obter um novo impulso para a sua presidência.

"Lembre-se, o Presidente Clinton voltou a ligar-se com os eleitores depois do ataque de Oklahoma, certo?" Penn disse a Matthews. "E o presidente agora parece afastado dos seus eleitores. Não foi até que o discurso [após o ataque de Oklahoma] que [Clinton] realmente se aproximou do público americano. Obama precisa de um "momento definidor" semelhante, disse Penn.

Num artigo sobre a popularidade em queda livre de Obama em meados de 2010 , Robert Shapiro, conselheiro sénior do ex-presidente Bill Clinton, escreveu que a única coisa que poderia salvar a presidência de Obama seria um ataque terrorista na escala do atentado de Oklahoma City.

"O fundamental aqui é que os americanos não acreditam na liderança do presidente Obama", disse Shapiro, acrescentando: "Ele tem que encontrar alguma maneira entre agora e novembro de demonstrar que é um líder que pode comandar confiança e, a não ser que ocorra um evento com a dimensão do 11 de Setembro ou do atentado de Oklahoma City, eu não consigo pensar em como ele poderia fazer isso. "

Se você acha que a administração Obama nunca ousaria encenar uma crise para o seu benefício político, basta olhar para o escândalo Fast and Furious, um programa deliberado de enviar armas para traficantes mexicanos, que resultou na morte de centenas de pessoas, incluindo um agente dos Serviços de Fronteiras dos EUA.

O tempo dirá se esta será ou não a "surpresa de outubro" que a ABC News previu
- é mais provável que acabe por ser um amontoado de adolescentes reunidos em torno de Washington DC sem fazer nada - mas o fato de que um grupo que se sabe estar infiltrado pelo FBI estar a falar abertamente sobre planos para ataques terroristas à Casa Branca no dia anterior à eleição deveria ser motivo de grande preocupação para todos."
www.wearechangeportugal.org www.informaçãoincorrecta.com