Bilderberg 2012 - Balanço final (parte II)

09-06-2012 16:25

 

Coloco em seguida a tradução da segunda parte do relatório Bilderberg 2012 de Daniel Estulin:

Bilderberg Relatório / Relatório Rússia Parte 2 Reunião Bilderberg

RÚSSIA

http://www.danielestulin.com/2012/06/07/bilderberg-reportinforme-part-2/

A maior dor de cabeça para o Bilderberg no futuro próximo continua a ser o Presidente da Rússia, Vladimir Putin. As principais áreas de preocupação para a organização secretiva continuam a ser a oposição da Rússia às guerras na Síria e no Irão, mesmo que estes conflitos sejam "vendidos" (NT- "spun" no original) como "bombardeamentos humanitários" ou "revoluções coloridas". O Bilderberg está especialmente preocupado pela insistência da Rússia em manter a "soberania nacional intacta". Outra preocupação para o Bilderberg é encontrar a melhor maneira de lidar com a "beligerância" da Rússia relativamente a: 1) as bases dos EUA que cercam a Rússia e 2) o sistema americano de defesa anti-míssil que está apontado para Moscovo. A atitude inflexível de Putin (NT - "no way Jose" no original ) elevou a fasquia.  Fica por saber,como afirmou um Bilderberger dos EUA, se "nós podemos fazer piscar Putin".

A Rússia pode já não ser a superpotência militar de outrora, mas o país tem armas nucleares e estratégicas que actuam como dissuasão militar, o que condiz com o seu estatuto de superpotência energética, com o petróleo e o gás a contabilizarem dois terços das exportações da Rússia.

Está ainda fresco na mente dos participantes Bilderberg o discurso de Putin em Munique 2007, quando chocou o Ocidente por criticar a agenda imperial obsessivamente unipolar de George W.  Bush "através de um sistema que não tem nada a ver com a democracia" e a ultrapassagem incessante das suas fronteiras nacionais "em quase todas as esferas".

Como Putin está preparado para jogar uma nova ronda de geopolítica "hardcore", o Bilderberg está extremamente preocupado porque, como admitiu abertamente um Bilderberger europeu, "Putin é de longe o adversário mais formidável para os nossos planos na cena mundial". O que faz a posição do Bilderberg muito mais difícil é a postura moral de Putin em "Proteger e promover o seu interesse nacional." Outro Bilderberger declarou que Putin é ao mesmo tempo "experiente" e "pragmático" na perseguição dos seus interesses nacionais. Uma Bilderberger europeia afirmou que no mundo de hoje, o "poder económico e militar tem uma incidência directa sobre a moral e a postura pragmática das nações."

A força da Rússia reside nas suas reservas energéticas e o Bilderberg está particularmente preocupado com o gasoduto South Stream, um megaprojeto com um preço de US $ 20 bilhões. O gasoduto South Stream vai transportar gás natural da Rússia sob o Mar Negro para a parte sul da UE  através da Bulgária, Sérvia, Hungria e Eslováquia e mais longe ainda para a Itália e Áustria, abastecendo 63 bilhões de metros cúbicos de gás anualmente. A preocupação do Bilderberg é que o South Stream poderia se transformar numa grande vitória para a Rússia em detrimento do oleoduto Nabucco, apoiado pela UE e EUA, entre a Turquia e a Áustria.

Uma preocupação muito maior para o Bilderberg é a tentativa de Putin de integrar a Ásia num bloco coeso sob a liderança da Rússia. O Bilderberg está convencido de que a Rússia e a China vão evitar toda a intromissão liderada pelo Bilderberg ao tornarem o Paquistão e o Irão em membros de pleno direito da Organização de Cooperação de Xangai (SCO - Shangai Cooperation Organization). "As repercussões seriam enormes", afirmou um Bilderberger europeu especialista em segurança.

Além disso, com a Rússia, a Ásia Central e o Irão a controlarem não menos de 50% das reservas mundiais de gás, e com o Irão e o Paquistão como  membros virtuais da SCO, a organização torna-se uma força contrária ao avanço da OTAN para a Ásia.

Por trás da campanha para deslegitimar Putin estão elites anglo-americanas muito poderosas e irritadas.
 

A posição da Rússia sobre a Síria

O Bilderberg concordou que a presença da Rússia no Mediterrâneo é muito preocupante e expressou o desejo de remover a Marinha da Rússia do porto sírio de Tartus.

Mas, como comentou um especialista europeu de segurança do Bilderberg, uma preocupação muito maior agora é a ênfase de Putin na integração euro-asiática. A ideia de Putin é coordenar "uma poderosa união supranacional entre a Europa e a dinâmica região Ásia-Pacífico".

Um ponto positivo para o Bilderberg relativamente à posição da Rússia sobre a Síria é que as opções de Putin para se opor à mudança de regime na Síria estão repletas de perigos. O Bilderberg concordou que uma posição inflexível pró-Assad poderia deixar a Rússia fora de qualquer entendimento para o futuro da Síria. "A Rússia foi deixada completamente de fora da Líbia e os russos não querem correr o risco de serem excluídos da Síria também", disse um alto diplomata dos EUA presente no Bilderberg. O Bilderberg está convencido que Putin preferirá compartilhar a Síria com os Estados Unidos e a União Europeia e ter assim uma palavra a dizer na direção do futuro do país.

Várias opções foram examinadas para fazer com que a Rússia entre "a bordo". Os Bilderbergers europeus, contra a oposição firme de representantes americanos do Bilderberg do núcleo duro da ala direita, tais como Marie Josee Kravis, concordaram que a Rússia pode mudar a sua posição (NT- "flip-flop" no original) sobre a Síria se obtiver as garantias necessárias de ser "uma parte da solução na Síria."

O que ficou claro a partir de discussões informais realizadas durante intervalos e almoços é que o Bilderberg tem pouca confiança na oposição a Putin. Gary Kasparov foi o campeão mundial de xadrez, mas, segundo fontes do Bilderberg , "a sua "esperteza de rua" (NT- "street smarts" no original) deixa muito a desejar." Como um Bilderberger americano declarou: "Se fosse uma luta de boxe, estaríamos perante o "mismatch" (NT- desafio em desigualdade de circunstâncias) do século. " Assim, Kasparov vs Putin terá que esperar. E enquanto o Bilderberg continua a financiar a United Civil Front de Kasparov  na esperança de criar agitação na Rússia, o Bilderberg está à procura de figuras mais sábias, mais inteligentes e mais carismáticas que Kasparov para enfrentarem Putin com mais eficácia (NT - no original "to give Putin a run for his money.").

Não percam a terceira e última parte  do relatório Bilderberg 2012 ...

www.wearechangeportugal.org www.informaçãoincorrecta.com