Bilderberg 2012 - Balanço final (Parte I)

08-06-2012 12:58

    A reunião anual do controverso e semi-secreto grupo Bilderberg decorreu entre os dias 31 de Maio e 3 de Junho em Chantilly, Virginia nos EUA. De acordo com o livro Jim Tucker´s Bilderberg Diary de  Jim Tucker , o veterano investigador deste grupo elitista, o Bilderberg  é " uma organização de líderes políticos e financeiros internacionais que se reunem em segredo todas as primaveras para estabecer políticas globais. Há cerca de 110 participantes habituais- Rockeffelers, Rothschilds, banqueiros, chefes de multinacionais e altos oficiais dos governos da Europa e da América do Norte. Todos os anos, alguns poucos são convidados e, se forem considerados úteis, voltam a participar nas reuniões. As decisões tomadas nestes encontros secretos afetam todos os americanos e uma grande parte do mundo." "Todos os participantes do Bilderberg bem como os seus ajudantes e os trabalhadores do hotel onde se realiza o encontro têm que jurar manter em segredo tudo o que ali é discutido. A imprensa que colabora com o Bilderberg, que inclui o The Washington Post,The New York Times e o Los Angeles Times, não reporta nada sobre o encontro."
    Este ano os convidados portugueses foram Jorge Moreira da Silva do PSD e Luís Amado do PS, para além de Francisco Pinto Balsemão que é um membro permanente pois faz parte do "Steering Comitee" (NT - pode ser traduzido como "Comissão diretiva"). Este, de acordo com o site oficial , é a "direção" do Bilderberg, constituída por membros eleitos por mandatos de 4 anos com possibilidade de re-eleição. O "Steering Comitee" é responsável pela eleição do Chairman ("presidente") do Bilderberg (que actualmente é Henri de Castries, CEO do grupo AXA), pelo seu programa e pela escolha dos participantes. Vale a pena ver a lista dos membros do "Steering Comitee" tirada do próprio site oficial (o negrito é da minha responsabilidade):

Chairman
Henri de Castries
Chairman and CEO, AXA Group

DEU     Ackermann, Josef     Chairman of the Management Board and the Group Executive Committee, Deutsche Bank AG
GBR     Agius, Marcus     Chairman, Barclays plc
USA     Altman, Roger C.     Chairman, Evercore Partners Inc.
PRT     Balsemão, Francisco Pinto     President and CEO, IMPRESA; Former Prime Minister
FRA     Baverez, Nicolas     Partner, Gibson, Dunn & Crutcher LLP
ITA     Bernabè, Franco     Chairman and CEO, Telecom Italia
ESP     Cebrián, Juan Luis     CEO, PRISA; Chairman, El País
CAN     Clark, W. Edmund     President and CEO, TD Bank Group
GBR     Clarke, Kenneth     Member of Parliament, Lord Chancellor and Secretary of Justice
BEL     Davignon, Etienne     Minister of State
DEU     Enders, Thomas     CEO, Airbus
DNK     Federspiel, Ulrik     Executive Vice President, Haldor Topsøe A/S
NLD     Halberstadt, Victor     Professor of Public Economics, Leiden University
USA     Jacobs, Kenneth M.     Chairman and CEO, Lazard
USA     Johnson, James A.     Vice Chairman, Perseus, LLC
GBR     Kerr, John     Independent Member, House of Lords
USA     Kleinfeld, Klaus     Chairman and CEO, Alcoa
TUR     Koç, Mustafa V.     Chairman, Koç Holding A.S.
USA     Kravis, Marie-Josée     Senior Fellow, Hudson Institute
USA     Mathews, Jessica T.     President, Carnegie Endowment for International Peace
USA     Mundie, Craig J.     Chief Research and Strategy Officer, Microsoft Corporation
NOR     Myklebust, Egil     Former Chairman of the Board of Directors SAS, Norsk Hydro ASA
DEU     Nass, Matthias     Chief International Correspondent, Die Zeit
FIN     Ollila, Jorma     Chairman, Royal Dutch Shell plc
USA     Perle, Richard N.     Resident Fellow, American Enterprise Institute
CAN     Reisman, Heather     CEO, Indigo Books & Music Inc.
AUT     Scholten, Rudolf     Member of the Board of Executive Directors, Oesterreichische Kontrollbank AG
IRL     Sutherland, Peter D.     Chairman, Goldman Sachs International
USA     Thiel, Peter A.     President, Clarium Capital / Thiel Capital
GRC     Tsoukalis, Loukas     President, ELIAMEP
CHE     Vasella, Daniel L.     Chairman, Novartis AG
SWE     Wallenberg, Jacob     Chairman, Investor AB

Member Advisory Group
USA     David Rockefeller

    Podem ver a lista oficial de participantes aqui . É  possível que Mitt Romney, o opositor de Obama nas eleições presidenciais deste ano nos EUA, tenha estado presente, bem como Mitch Daniels, governador do estado de Indiana, que, de acordo com Jim Tucker, é a escolha dos elitistas para vice de Romney. Quanto à agenda do Bilderberg deste ano como é habitual o pouco que se consegue saber é devido às fontes de Jim Tucker e de Daniel Estulin no interior do clube (ao que parece nem todos os membros do clube estão de acordo com os seus planos) e nos serviços de informações (Estulin afirma que trabalhou durante vários anos ao serviço da contra espionagem russa) e à colaboração ocasional de membros do pessoal que trabalha nos hotéis.

AGENDA BILDERBERG 2012

No vídeo seguinte, em inglês, Estulin explica a Alex Jones os pontos principais da agenda do Bilderberg deste ano:

Bilderberg 2012: Daniel Estulin: "Bilderberg discute Novo Colapso Financeiro"
http://www.youtube.com/watch?v=cbBevLIYCN4&feature=relmfu

Os pontos chave da agenda do Bilderberg 2012 foram:
- Desvalorização do US dólar face ao yuan.
- Novo colapso financeiro (mais uma situação do tipo "Lehman Brothers").
- Colapso financeiro de Espanha que será "sacrificada" para salvar uma parte do sistema financeiro.

 

Daniel Estulin apresenta sempre um relatório do Bilderberg no seu site. Segue a primeira parte traduzida (grosseiramente) em português:

http://www.danielestulin.com/2012/06/05/bilderberg-reportinforme-2012-part-1/

Parte 1 Bilderberg Relatório/ Relatório 2012 Parte 1 Espanha será sacrificada

"Colocamos a primeira parte do relatório Bilderberg directamente relacionada com Espanha. Resumo: A situação é crítica. O Bilderberg está determinado a sacrificar Espanha para salvar uma parte do sistema financeiro.

    BILDERBERG: "Espanha vai ser sacrificada."

    Ao longo dos três dias da reunião do Bilderberg, os banqueiros europeus, funcionários do governo dos EUA e gestores financeiros internacionais tiveram discussões tensas por trás de portas fechadas com o conhecimento de que a Alemanha está ampliando o crédito em dívida para o resto da Europa. Um Bilderberger alemão apontou que os recursos alemães são finitos, enquanto outro afirmou que "Seria impossível no clima político e económico alemão atual convencer os eleitores a apoiar a Espanha, um país assolado pela corrupção e ineficiência." A mensagem-chave da reunião: contra todas as probabilidades é fundamental preservar o funcionamento do sistema bancário.
    A vice-presidente de Espanha (Soraya Saenz de Santamaria) recebeu uma dose de humildade quando levantou a questão da "responsabilidade" dizendo aos seus poderosos colegas alemães que devem emitir Eurobonds para salvar o sistema. A resposta mais eloquente foi "go pound sand, little girl" (NT - algo como "vá brincar na areia menina") , foi assim que o poderoso elitista respondeu às afirmações infundadas de Soraya. As Eurobonds seriam garantidas pela Alemanha, mas seriam gastas principalmente nos "PIIGS" (porcos em Inglês pelas iniciais de Portugal, Itália, Irlanda, Grécia e Espanha).
    A conclusão não poderia ter sido mais terrível para o futuro imediato da Espanha. A Espanha vai ser sacrificada no altar da alta finança. "Por que iríamos querer salvar a Espanha sabendo que mentiu sobre a dimensão dos seus problemas financeiros ?", perguntou um dos participantes alemães para a vice-presidente de Espanha. "O sistema bancário é inútil. Você tem "equity" ( NT - é um termo técnico de finanças que pode neste contexto ser traduzido como "capitais próprios") que possa ser de interesse para alguém? "A resposta foi um sonoro" NÃO ".
    Um funcionário do governo dos EUA afirmou que "é hora de apertar o botão de pânico." O sentimento de pânico foi crescendo à medida que o fim de semana progrediu e as discussões tornaram-se cada vez mais tensas. Ao contrário dos cidadãos espanhóis, o Bilderberg tem acesso a um conjunto de dados abrangentes sobre a fuga de depósitos de dinheiro de Espanha, que eles acreditam que é o dobro dos 66 200 milhões anunciados em março. "
    "Março foi uma eternidade atrás, em termos financeiros", disse um dos Bilderberg. Os números concretos falam por si. A dívida das instituições financeiras espanholas é de 109% do PIB, o dobro da França ou Alemanha, e três vezes maior do que os Estados Unidos. Empréstimos exorbitantes no sector da construção são 40% do PIB em termos reais, e não 20% como o governo Rajoy tem vindo a vender para o mundo.
    Outra Bilderberg afirmou que "o problema da Espanha é que a construção é um gorila de 800 kg numa loja de porcelana", tão grande quanto o setor industrial. Por contraste, na Alemanha, o setor da construção tem apenas 20% do tamanho da indústria.
     Outros Bilderbergers observaram que há um ano, a proporção da dívida do sector financeiro em relação ao PIB caiu de 8 bilhões de dólares para US $ 6,1 bilhões. Um bilhão de dólares dessas perdas podem ser atribuídas à falência do Lehman Brothers,à compra do Bear Stearns pela JPMorgan Chase e à fusão do Bank of America com a Merrill Lynch.
    Em conclusão, o sistema bancário espanhol, incluindo a dívida das famílias espanholas, vai morrer. Como eu disse e registei em 31 de Maio, o banco líder na Espanha, o Banco Santander, tem uma dívida impagável de 800.000 milhões de euros. O Bilderberg obviamente sabe isso. A metástase espalhou-se para todas as partes do sistema. Os Senhores Sombra falaram e escreveram o roteiro. Resta saber quanto tempo demorará até que os atores interpretem seus papéis.
    Há uma solução. A Espanha deve sair imediatamente do euro e voltar a ser uma república Estado-nação independente."

Recomenda-se o visionamento da entrevista (em castelhano) dada por Daniel Estulin no Intereconomia TV :

http://www.danielestulin.com/2012/06/02/entrevista-en-intereconomia-sobre-club-bilderberg/

Nessa entrevista Estulin reafirma que o Banco Santander está na bancarrota com uma dívida impagável de 800 mil milhões de euros.
Estulin acredita que dentro de poucos meses essa informação, aparentemente inacreditável, surgirá nos principais meios de comunicação. A precária situação financeira de Espanha foi um dos temas centrais do Bilderberg 2012. De acordo com Estulin:

  -  Algumas das grandes entidades financeiras de Espanha terão que desaparecer.

  -  Preocupação pela dívida de 800.000 milhões de euros do Banco Santander. Estão a fazer todo o possível para que esta informação não seja divulgada e estão a colocar à venda parte das suas propriedades. Há cerca de dois meses, de acordo com um conselheiro do Banco Santander, chegaram a acordo com o hedge fund "Fortress" a quem venderam 1200 milhões de euros de produtos financeiros tóxicos dos anos 80 por 31 milhões de euros, cerca de 3 % do seu valor.

     A segunda parte do relatório de Estulin será colocada mais tarde ...

     (Continua ...)


 

 

 





 

www.wearechangeportugal.org www.informaçãoincorrecta.com